Produção e armazenamento de alimentos são as alternativas para a produção de suínos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A cada ciclo, a suinocultura se depara com o alto preço dos ingredientes para rações. Considerando que o milho de qualidade e o farelo de soja são os ingredientes preferenciais para uma boa dieta de suínos e que o custo de produção de suínos tem na ração o principal peso (60% a 70%) e o milho sozinho equivale a 40% do custo de produção, se isso fosse mais considerado em planejamento agrícola, os Estados com produção animal intensiva deveriam ter milho em quantidade e qualidade suficientes para sua produção.

Uma realidade é a dos Estados do Sul que apresentam déficit de milho. A solução, em geral, tem sido a importação de grãos, mas, no ano passado, a modificação cambial, desfavorável ao real, dificultou as importações de cereais e, além disso, a estiagem recente diminuiu a expectativa de oferta interna de grãos, resultando na elevação de preços no mercado (R$ 0,14/kg em maio/99 para R$ 0,26/kg em dezembro/99).

A não existência de estoques reguladores para suprir deficiências de mercado, ou, às vezes, a existência de estoques com ingredientes de qualidade ruim traz grande incerteza e prejuízos na produção animal.

Diante dessa situação, a indústria mais organizada não está enfrentando problema de escassez de milho, pois estão com estoques próprios até a próxima safra nacional, quando então, novamente, comprarão tudo precocemente para o ciclo seguinte. As indústrias organizadas já disputaram os cereais de inverno (trigo, triguilho e triticale) e açúcar cristal (R$ 0,28/kg), que estiveram muito baratos há três meses e disponíveis no mercado em grande proporção.

Para os pequenos produtores, as soluções imediatas, antigas e cíclicas são: reduzir plantel ou abater com menor peso os animais.  No entanto, essas medidas não são as melhores.  A melhor solução seria otimizar a alimentação. Para isso, os serviços de extensão rural oficiais devem estar preparados para informar sobre culturas alternativas de inverno (trigo, triticale, cevada), de verão (sorgo e milho) e contínuas (tubérculos de mandioca).

A mandioca pode ser uma boa alternativa, mas exige alguns cuidados especiais e, naturalmente, a resposta animal a ela pode não ser igual a do milho. Por outro lado, os milhos sofrem ação de micotoxinas por não serem, em geral, ensilados convenientemente, o que não ocorre com a mandioca, que tem como silo a própria terra. Além disso, a produtividade por hectare favorece a mandioca. Por causa disso, economicamente, esta tem grandes chances na produção de suínos das pequenas propriedades. Assim sendo, a alternativa para o pequeno produtor é produzir e armazenar com qualidade grande parte dos cereais e tubérculos necessários à sua produção de suínos.

Fonte: Bicho Online

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

 

 

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

 

 

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

O manejo alimentar de frangos

A evolução dos preços do ovo e do frango é justificada com base no salário mínimo

Como alimentar as codornas

 

 

 

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 27 de junho de 2012