O manejo alimentar de frangos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O manejo alimentar visa suprir as necessidades nutricionais das aves em todos os seus estágios de desenvolvimento e produção, otimizando o crescimento, a eficiência produtiva e a lucratividade da exploração, já que o custo com alimentos representa 75% do custo total de produção.

A nutrição adequada dos frangos de corte, por exemplo, depende de conhecimento técnico sobre nutrientes, energia, aminoácidos, minerais, vitaminas, ácidos graxos e água. Uma coisa importante a se observar é o consumo diário de água, que em caso de a ave diminuir o consumo, pode ser sinal do início de algum problema.

Em caso de se considerar o uso de ingredientes como trigo, triticale, triguilho, sorgo, farinhas animais, subprodutos do milho, cevada, etc. é preciso estar atento à sua disponibilidade comercial, qualidade e preços relativos aos ingredientes tradicionais, buscando a vantagem no preço, sem nunca desconsiderar a qualidade.

Um princípio básico na substituição do milho por ingredientes alternativos é manter equilibrados os nutrientes e energia, produzindo uma dieta mais barata que a convencional. Os alimentos a serem fornecidos devem também atender a alguns princípios de manejo da alimentação e da água para que sejam bem aproveitados e gerem eficácia no desempenho dos frangos.

No caso do manejo alimentar proposto para o sistema alternativo de criação de galinhas caipiras, há a previsão da integração das atividades agropecuárias, com o aproveitamento de resíduos oriundos da atividade agrícola. Tal fato não só permite a redução dos custos de produção, como também, a agregação de valores aos produtos, pois assim se utilizam resíduos agrícolas, como folhas da mandioca, que normalmente são abandonados no campo, transformando-os em proteína anima, bem como é possível utilizar suas raízes, as cascas e crueiras, que são subprodutos da fabricação da farinha e da goma de mandioca.

Além disso, pode-se utilizar também o farelo de arroz, que possui teores de proteína bruta de aproximadamente 15%. Este produto resulta do processo de beneficiamento dos grãos de arroz para consumo, sendo relativamente fácil de ser obtido, principalmente nas unidades agrícolas familiares que adotam o sistema de cultivo do arroz.

A dieta da galinha caipira deve ser estabelecida de acordo com a exigência nutricional de cada fase do seu desenvolvimento, sendo que a formulação da ração deve ser feita com base nos teores de proteína apresentados por cada um de seus componentes, na sua eficiência alimentar.

Outros produtos também podem ser empregados como fonte alternativa de alimentos para as aves, tais como fenos de feijão-guandu ou leucena, ou vagens moídas de faveira, que é uma espécie abundante no Piauí. No caso de se utilizar qualquer uma dessas fontes de alimento, os seus teores de proteína devem ser considerados, a fim de permitir a formulação correta das rações e proporcionar um desempenho adequado das aves.

Fonte: Embrapa

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

 

 

Conheça o Cursos de Planejamento e Produção de Frango de Corte

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Crise na suinocultura: nem mesmo linha de crédito especial está resolvendo o problema

A evolução dos preços do ovo e do frango é justificada com base no salário mínimo

Alta nos preços – frango ganha do boi e suíno vivo

 

 

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 10 de janeiro de 2013