Verão exige cuidados especiais no manejo dos aviários

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na Europa mais de 90% dos aviários trabalham com pressão negativa, que garantem melhores resultados no ganho de peso das aves. O Brasil, mesmo sendo líder na exportação mundial de frangos, produz cerca de 70% das aves em aviários convencionais (de pressão positiva, com ventiladores), com pouco ou mal uso de tecnologias.

Durante o VI Encontro Técnico do Grupo Unifrango, no mês passado, em Maringá (PR), o médico veterinário e assistente técnico da Cobb Vantresss, José Luis Januário, palestrou sobre Ambiência – Manejo de verão e ressaltou que “o Brasil ainda precisa evoluir muito no quesito estrutura de criação de aves. Estamos 30 anos atrasados em relação aos países que fornecem a tecnologia”.

Devido à alta amplitude térmica o setor de frango do Paraná teve perda na produção de frango em outubro, ainda na primavera. “Frango suporta altas e baixas temperaturas, mas não uma amplitude térmica de 15ºC no dia”, explica Januário, que acrescenta que essa é a maior causa de ineficiência e mortalidade das aves.

A remoção do calor produzido pelas aves, que representa 80% do calor total do aviário, e a troca de ar em um intervalo menor que um minuto devem ser as prioridades do manejo durante o verão.  Não respeitar a renovação do ar nesse intervalo aumenta o nível de CO2 produzido pelas aves dentro do aviário.

Outro ponto fundamental a ser verificado pelo produtor é a vedação dos aviários, seja de pressão negativa ou positiva, alerta Januário.

 Fonte: Revista Globo Rural

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

Conheça os Cursos de Planejamento e Produção de Frango de Corte

 

 

Veja outras publicações do Portal Suínos e Aves:

Crise na Suinocultura: desistir ou buscar alternativas?

Liberada a exportação da carne suína brasileira para a argentina

Exportação brasileira de frango no primeiro semestre aponta avanço na exportação

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 28 de dezembro de 2012