Valorização do suíno tira produtor do vermelho no RS

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente da Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), Valdecir Folador, após sua apresentação no Congresso Nacional da Indústria da Carne, promovida pelo Informa Group, disse na terça-feira (06) que os produtores do RS estão conseguindo pagar a conta do custo de produção, já que o suíno se valorizou e os preços dos grãos recuaram um pouco. Estão com margens mínimas.  Com a valorização recente do suíno vivo no Rio Grande do Sul, produtores do Estado deixam de operar com prejuízo. Atualmente, o animal é vendido a R$ 3 o quilo, ante R$ 1,60/quilo no primeiro semestre e R$ 2,20/quilo no começo de outubro.

De acordo com Valdecir Folador além de os criadores terem reduzido à produção, as exportações cresceram para outros países, assim como as vendas no mercado interno. “O mercado está demandado e os preços acabaram se ajustando”, afirmou. Para 2013, Folador espera manutenção. “Janeiro, fevereiro e março são complicados, porque a demanda diminui. Mas temos a expectativa de que pelo menos as cotações se mantenham nos níveis atuais para pagarmos o custo de produção.”

O grande desafio do setor é manter e abrir novos mercados. “Rússia tem as suas próprias regras, quer ser autossuficiente, e usa a carne suína como moeda de troca para pressionar o Brasil em outros interesses. Argentina fechou de novo, porque agora eles estão dizendo que não estamos mais importando o limão siciliano”, citou o presidente da ACSURS.

Em relação ao mercado ainda são necessárias adotar medidas que busquem e ampliem o consumo da proteína. “Até 2010, o consumo per capita de carne suína era de 13 quilos. Em 2011 ultrapassamos a barreira dos 15 quilos. Nossa meta é chegar até 2015 com um consumo per capita por ano de 18 quilos. E temos potencial para isso, com a apresentação de novos cortes, inclusão em merenda escolar, em hospitais, entre outros”, declarou Folador.

Para ele, também é necessária a criação de políticas públicas. “Temos que abrir os olhos do governo para a importância do setor. Não só de suínos, de todas as carnes. Por exemplo, não sou contra a exportação dos grãos, mas não pode ocorrer o desabastecimento do insumo dentro do País”, ressaltou. Folador ainda informou que poucas das medidas anunciadas pelo governo para socorrer o setor chegaram realmente ao suinocultor.

Fonte: Revista Globo Rural

Adaptação: Portal Suínos e Aves

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

 

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Os ovos de pata e codorna querem seu lugar à mesa

Para o cigarro tudo. Para a suinocultura nada.

veja como funiona a produção de ovos em cruzeiro do sul

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 8 de novembro de 2012