Uso de ractopamina em ração suína dificulta exportação

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O uso de um aditivo na ração oferecida a suínos que estimula o ganho de peso, está sendo alvo de polêmica devido a restrições observadas por alguns países, como a Rússia, sobre esta prática.

Ractopamina é um pó amarelo promotor de crescimento animal, não aceito por compradores russos que não querem carne de animais alimentados o aditivo.

Rubens Valentim, proprietário de uma granja de suínos em Planaltina (Distrito Federal) ressalta que o ingrediente é fornecido nos últimos vinte e oito dias de vida dos suínos, estimulando a produção de carne magra, produzindo mais carne com menos ração.

Em países da União Europeia e também China e Rússia, o uso da substância é proibido, sendo que no Brasil, o uso na criação de suínos é permitido há uma década.

Em visita ao nosso país, compradores russos pediram garantia ao governo brasileiro que a ractopamina não será mais utilizada na alimentação de suínos.

Ênio Marques, secretário de defesa agropecuária do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), disse que “pretende receber de quem esteja interessado em exportar carne para a Rússia um protocolo de produção que garanta que os animais não usaram a ractopamina”. Sem o uso do aditivo, o tempo médio de engorda dos suínos aumenta em cinco dias, elevando aproximadamente vinte reais por cabeça produzida.

Fonte: Pecuária

Adaptação: Portal Suínos e Aves

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

 

 

 

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Alta nos preços – frango ganha do boi e suíno vivo

O aumento das exportações de carne suína no Brasil

Padrões de consumo da carne suína

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 21 de agosto de 2012