Preço de produtos avícolas tem diferença de até 220% no mercado

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No estado de São Paulo, a disparidade entre os preços assumidos nos supermercados e os comercializados nas agroindústrias aviárias, faz aumentar a crise no setor.

Um exemplo é o corte de coxa de frango, que nos supermercados paulista é vendida até 146% mais cara do que os preços praticados pela agroindústria.

A APA (Associação Paulista de Avicultores) realizou a coleta de dados de preços praticados em pontos estratégicos do varejo de São Paulo, mostrando que alguns estabelecimentos vendem produtos derivados da carne de frango, como é o caso do frango a passarinho, até 220% acima do preço de venda dos frigoríficos aviários.

Erico Pozzer, presidente da APA disse que “o peito de frango que a agroindústria vende a R$ 5 está sendo vendido para o consumidor pelos supermercados a R$ 12, R$ 13. E isso não é um problema só de São Paulo”.

Outros cenários nacionais também estão praticando preços abusivos segundo a Ubabef (União Brasileira de Avicultura). “Falta ração, e a que está disponível ficou muito mais cara. É um processo natural reduzir a oferta, e absolutamente lógico repassar aumentos de custos para os preços dos produtos. Mas o que não é lógico e nem normal é que alguns estabelecimentos varejistas se aproveitem e aumentem o produto em percentuais desmedidos, sem entender que a hora é de reduzir os prejuízos da cadeia produtiva como um todo”, ressaltou Francisco Turra, presidente da Ubabef.

Fonte: Globo Rural

Adaptação: Portal Suínos e Aves

Conheça os Cursos de Planejamento e Produção de Frango de Corte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Previsão de crescimento produtivo e exportação de carne suína brasileira

Carne de frango – opção mais saudável

Saiba um pouco mais sobre a situação do mercado de aves de corte no Brasil

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 24 de agosto de 2012