Padrões de consumo da carne suína

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A diferença no consumo de carne suína entre diversas regiões do mundo pode ser explicada por questões culturais, em função de hábitos, proibições religiosas ou dogmáticas.

Mesmo com as disparidades existentes em relação ao seu consumo, a carne suína é a mais consumida no mundo, responsável por cerca de 38% da ingestão protéica diária mundial.

Entre os países que mais consomem a carne de porco no planeta, podemos destacar:

Ao contrário do que muitos acreditam, em especial os brasileiros, a carne suína magra é um alimento denso em nutrientes, suprindo o organismo com alta concentração nutritiva em relação ao seu valor energético (calorias). É importante ressaltar que a expressão carne magra, considera-se porções e cortes suínos sem concentrações de camadas de gordura.

Uma porção de 100g de lombo suíno aparado é uma ótima fonte de tiamina, vitamina B6, fósforo e niacina, uma boa fonte de riboflavina, potássio e zinco, contribuindo com apenas 6% das calorias numa dieta de 2000 kcal. Quando comparado a um peito de frango sem pele e na mesma proporção, o lombo apresenta duas vezes mais zinco e 10 vezes mais tiamina.

Seguindo o padrão da porção de lombo magro destacado acima, quando assado, esta apresenta os seguintes valores:

 Assim, podemos afirmar que o lombo suíno é uma carne extremamente “magra”, apresentando apenas 5g de gorduras totais, 2g de gordura saturada e 95mg de colesterol por porção, sendo um aliado no controle da pressão alta, com baixo teor de sódio.

Fonte: Carne Suína Brasileira

Adaptação: Portal Suínos e Aves

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Alta nos preços – frango ganha do boi e suíno vivo

O aumento das exportações de carne suína no Brasil

Porkexpo 2012

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 7 de agosto de 2012