Ovo e “colesterol bom”: qual a relação?

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Várias são as crenças envolvendo o consumo de ovo, tanto os que afirmam seus benefícios para a saúde, quanto os que o crucificam, principalmente por acreditarem no seu potencial maléfico aos humanos.

Mas são varias as pesquisas que demonstram as qualidades do ovo inteiro (gema e clara), desmistificando crendices populares que circundam seu consumo.

Pesquisadores da Universidade de Connecticut, Estados Unidos, comprovaram através de pesquisa apresentada no congresso de Biologia Experimental 2012 em San Diego, Califórnia, que o consumo do ovo inteiro no café da manhã pode ser saudável em pessoas com síndrome metabólica. Isso devido às propriedades que permitem melhorar os níveis do HDL (o bom colesterol) em circulação na corrente sanguínea de pessoas que sofrem da síndrome.

A pesquisa baseou-se na análise de resultados colhidos durante doze semanas, quando dois grupos foram submetidos a diferentes dietas no café da manhã: os que comiam três ovos inteiros por dia e aqueles que comiam um substituto ao ovo. Com a análise sanguínea dos participantes, o grupo que consumiu ovos possuíram melhoras nos níveis de HDL, responsável por encaminhar a gordura ruim do sangue ao fígado, evitando doenças como a aterosclerose.

Aos mais céticos, as pesquisas que comprovam outros pontos benéficos no consumo do ovo são várias, devido principalmente ao seu baixo teor de gordura saturada (grande responsável pelo aumento do “colesterol ruim”).

 

 

Fonte: Revista Veja

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

 

 

Conheça o Cursos de Planejamento e Produção de Frango de Corte

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Previsão de crescimento produtivo e exportação de carne suína brasileira

Exportação recorde de carne suína mineira

Material genético e raças de frangos de corte

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 9 de maio de 2012