O plantio do milho

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 O cereal mais importante em qualquer fazenda, sítio ou granja sem dúvida é  o milho, que é empregado na alimentação de todos os animais. Pode ser dado aos animais ainda nas espigas ou puro, já debulhado, em grãos inteiros, triturado ou moído, como farelo ou farinha, ou então, como componente de rações.

O milho é originário da América Latina, ele é uma das gramíneas mais cultivadas, porque produz grãos de elevado valor nutritivo. Como elemento integrante das rações balanceadas, é um dos fatores mais importantes na produção de carne, leite, ovos, além de outros alimentos de origem animal.

O grão é muito utilizado, também, na alimentação humana, como milho verde, cozido, pode ser utilizados na espiga, debulhado, fresco em conservas, geralmente em latas ou em vidros, na fabricação de angu, polenta, curau, sopas, broas, bolos e etc.

Para fazer o plantio do milho deve seguir as seguintes orientações como: deve ser plantado em solos bem drenados, para evitar que fique encharcado ou com poças d”água, o que seria muito prejudicial à sua cultura; os terrenos destinados ao seu cultivo devem ser férteis ou então bem adubados com 20 ton/ha de estercos ou compostos orgânicos bem curtidos; adubos minerais também podem ser usados, embora isso, em geral, não seja necessário; quando o solo for muito ácido, deve ser feita uma calagem, ou seja, a sua correção com o emprego de cal espalhada por toda a superfície; o terreno deve ser o mais plano ou menos acidentado possível, para evitar enxurradas e para facilitar todos os trabalhos, inclusive o acesso à lavoura; se o terreno for em declive o plantio deve ser feito em curva de nível, o que evita enxurradas que podem destruir toda a plantação e que permite que a água da chuva penetre mais facilmente no solo, o que traz grandes benefícios para essa cultura.

O milho deve ser plantado em linhas ou sulcos distanciados 1 m e nos quais são colocadas 1 semente de 20 em 20 cm. Elas devem ser cobertas por uma camada de 5cm de terra ou em covas separadas 1 m umas das outras.
O solo deve ser preparado fazendo uma aração com 20cm de profundidade e depois, uma boa gradeação, para quebrar os torrões e nivelar o solo, deixando-o pronto para o plantio.

 Existem formas diferentes de plantio como o plantio manual, com enxadas ou plantadeiras. Nesse caso, as covas, com 3 sementes cada uma, devem ser separadas 50 cm umas das outras e em linhas com 1 m de distância. Quando é usada uma plantadeira mecânica, as sementes são plantadas de 20 em 20 cm.  O adubo mineral, quando for utilizado, não deve ter contato direto com as sementes, para evitar que elas se queimem, o serviço de aração, gradeação, capina e colheitas devem ser mecanizados quando são  grandes áreas de plantação.

 A época para o plantio do milho começa, normalmente, com a chegada da estação das chuvas, que varia de acordo com a região do país. Os melhores períodos para o plantio do milho são: no sul de setembro a novembro e no norte da segunda quinzena de agosto até o fim de outubro. Naturalmente, esses períodos podem variar, de acordo com o início das chuvas, que podem atrasar ou mesmo, chegar mais cedo.

Embora preferindo climas quentes, o milho é produzido, também, em regiões de clima mais ameno. Pode ser plantado de agosto até dezembro. Podem-se obter duas colheitas por ano. Para isso e para o maior aproveitamento do terreno, pode-se plantar feijão e quando colhe a sua safra das águas, em novembro ou dezembro, plantar o milho em seu lugar, para ser colhido em abril e maio. Depois de colhido o milho, pode-se plantar o feijão da seca em seu lugar. Fazendo, dessa maneira, uma rotação de culturas, utilizando o feijão, mas outra cultura pode ser utilizada em seu lugar.

Os plantios podem ser feitos com milhos comuns ou convencionais, ou com os de variedades híbridas, cujos rendimentos são muito superiores. A plantação deve ser mantida sempre limpa, livre do mato e de ervas daninhas. A primeira capina deve ser feita logo que o mato começar a crescer e devem ser repetidas, quantas vezes forem necessárias, para proteger a lavoura.

A colheita do milho só deve ser feita quando ele estiver com os grãos bem secos. Depois de colhido, o milho deve ser conservado nas espigas, em paióis ou em outros depósitos, desde que limpos, arejados, ventilados, secos e protegidos de pragas, principalmente dos carunchos, das traças e dos ratos que, não só comem o milho, mas o destroem e nele urinam, inutilizando-o para o consumo. Todas as precauções devem ser tomadas para evitar tais prejuízos.

O milhoé muito resistente a pragas, mas não é imune. Dentre as principais pragas que pode atacar a lavoura pode-se destacar: a lagarta-rosca verde escura, ela fica no chão, perto dos pés de milho e ataca à noite, cortando a parte de baixo dos seus pés; a lagarta da espiga que come os grãos ou os cabelos das espigas, impedindo o seu desenvolvimento, o combate a essa lagarta é recomendado quando a produção é para colheita de “milho verde”; a lagarta do cartucho que destrói os cartuchos do milho, o seu combate é aconselhável, somente quando mais da metade da plantação for atacada; a lagarta-elasmoque ataca o meio dos talos, deixando as folhas de dentro amarelas e secas, seu combate é caro e os resultados, geralmente, não são bons.

As lavouras de milho podem ter a seguintes doenças: podridão-seca; podridão rosada das espigas; carvão da espiga e sapeco. Elas não causam, geralmente, muitos estragos na plantação. Para prevenir e evitá-las, deve-se fazer rotação de culturas; adubar bem a terra; usar apenas sementes selecionadas; plantar na época certa; enterrar ou levar para fazer composto orgânico, todos os detritos e sobras da plantação anterior.

Fonte: Rural News

Adaptação: Portal Suínos e Aves


Conheça o Curso de Produção de Milho no Sistema de Plantio Direto

 

 

 

Veja outras publicações do Portal Suínos e Aves:

Crise na Suinocultura: desistir ou buscar alternativas?

Liberada a exportação da carne suína brasileira para a argentina

Exportação brasileira de frango no primeiro semestre aponta avanço na exportação

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 11 de dezembro de 2012