O mito do hormônio na carne de frango

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Mesmo sem o devido embasamento, muitas pessoas ainda arriscam a dizer que os frangos de aviculturas recebem hormônios de crescimento em sua alimentação. Desta forma, o fato da ave poder chegar a pesar quase 3 kg, em pouco mais do que um mês, é pretexto para reforçar este antigo mito popular.

Até mesmo profissionais que atuam na área de alimentação, por vezes, divulgam notícias neste sentido, alertando as pessoas a se precaverem em relação ao consumo de carne de frango e aos “hormônios nocivos à saúde humana”.

A verdade é que todas as empresas credenciadas junto às instituições públicas e entidades sanitárias internacionais, a possiblidade de tal fato ocorrer é zero.  Principalmente porque a questão constitui uma violação grave do IN nº 17 de 2004 do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, que proíbe qualquer tipo de sustância ilícita que possa promover o ganho de peso do animal, tais como tireostáticos, estrogênicos, dentre outras. Isso, sob penas severas previstas, o que não seria o caso de nenhuma delas ter o interesse em correr este risco.

Sendo assim, o avanço da avicultura é o que de fato proporcionou o ganho de peso do animal, em virtude da melhoria das técnicas de manejo, ambiente, nutrição, aprimoramento genético, dentre outros.

A realidade da produção de frangos no Brasil e no mundo, portanto, segue na direção do crescente aprimoramento da rigidez sanitária e de qualidade exigidos por toda a cadeia.

Reforçar a credibilidade da avicultura e desmistificam as informações incorretas sobre o tema, é, portanto, dever de todos os profissionais envolvidos no setor.

 

O planejamento que envolve as granjas de frango é o que garante a qualidade e sucesso na produção. Saiba mais.

Fonte: Avicultura Industrial

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 12 de setembro de 2016