O Estado do Paraná prevê nova norma para o descarte dos animais

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O descarte de animais mortos é um grande problema para os produtores. A legislação em vigor é do ano de 1934 e passou por poucos ajustes servindo de base nos processos sanitários. O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) entregou ao Ministério da Agricultura o pedido de revisão da lei.

Para atender a todos os produtores será necessário a ampliação dos recursos para as pesquisas e há também a necessidade de manter um integrante do Brasil na Organização Mundial de Saúde Animal OIE – World Organization for Animal Health. De acordo com o programa, o descarte dos animais além de ser um dos grandes problemas dos produtores, acarreta grandes perdas econômicas nas cadeias produtivas como, por exemplo, o pescado, leite, aves e suínos.

A proposta é que a nova legislação especifique os procedimentos que devem ser utilizados. Deverá ser elaborado um grande projeto envolvendo os diferentes tipos de animais, com foco em seus tamanhos, causa da morte, descarte por causa natural, entre outros.

Outra questão a ser implantada é o transporte dos animais mortos, pois, não há nada específico na legislação nacional. Já aconteceram situações gravíssimas, como utilizar esses animais mortos de forma irregular para alimentação humana. O produtor precisa de um auxilio para que o processo funcione de forma correta sem agredir o meio ambiente.

 

Com planejamento específico o produtor poderá estar dentro dos padrões impostos pela a lei. Saiba mais.

Fonte: Revista Globo Rural

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 28 de setembro de 2016