Manejo de Dejetos na Suinocultura

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um dos itens necessários para a sustentabilidade de uma suinocultura está relacionado a um manejo adequado dos dejetos dos animais, que podem contribuir para a degradação ambiental e causar sérios riscos de contaminação dos rios e lençóis freáticos, por meio da liberação de gás metano, nocivo ao meio ambiente.

Pode ainda inclusive afetar diretamente a vida de comunidades vizinhas à propriedade rural, através do mau cheiro, colaborando para uma imagem negativa da suinocultura.

Sendo assim, em função das exigências da própria legislação, é preciso que o produtor se adeque na busca de alternativas viáveis para controlar o manejo dos dejetos.

Uma das melhores alternativas é o biodigestor para o tratamento dos dejetos e remoção da carga orgânica, os quais são conduzidos por canalização para a queima sem liberá-los para a atmosfera. Este aparelho pode, ainda, ser um excelente gerador de energia (biogás), por conta deste processo.

Depois da etapa final, os dejetos podem ainda servir como adubos para plantações e pasto, pois já estarão em características não poluidoras.

Este processo é chamado de biodigestão, ou seja, as bactérias, através da fermentação do aparelho, degradam a matéria orgânica gerando o gás e o fertilizante, além de contribuir para a não emissão de poluentes na atmosfera.

A suinocultura, assim como outros segmentos, tem, portanto a obrigação de contribuir, através de práticas sustentáveis, para a melhora das condições do meio ambiente.

 

O produtor antes de iniciar o trabalho com a suinocultura deve ter um planejamento adequado da área. Veja aqui.

Fonte: Revista ComArte

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 22 de junho de 2016