IBGE divulga crescimento no abate de bovinos e suínos e queda no abate de frango

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

De acordo com informações do IBGE cerca de 7,6 milhões de cabeças de bovinos foram abatidas no segundo trimestre de 2012, na comparação com o trimestre anterior, o aumento foi de 5,6% e de 7,9%, na comparação com o mesmo período de 2011. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul lideraram o ranking dos estados e abateram, juntos, 67,0% dos cerca de 558 mil unidades bovinas abatidas a mais em todo o país.

 O aumento também ocorreu no abate de suínos, com 8,8 milhões de cabeças abatidas, 0,9% a mais em relação ao trimestre imediatamente anterior e 2,6% na comparação com o mesmo período de 2011. Todas as Unidades da Federação das Regiões Sul (exceto Santa Catarina), Sudeste e Centro-Oeste apresentaram aumento do número de cabeças abatidas no comparativo dos primeiros trimestres de 2012 e 2011. O crescimento de todos os Estados da Região Centro-Oeste correspondeu a 45,0% do aumento do abate nacional de suínos.

O abate de frango (1,3 bilhão de cabeças) teve queda de 5,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,8% frente ao mesmo período de 2011. O Paraná é a principal unidade da Federação no ranking nacional de abate de frangos seguido por Santa Catarina e São Paulo. Rio Grande do Sul abateu 23,6% a menos do que no 2° trimestre de 2011 e caiu para a quarta posição.

A aquisição de couro pelos curtumes também teve aumento no 2º trimestre em comparação com o mesmo período de 2011 (10,9%). Mato Grosso foi o estado que recebeu mais couro cru para curtimento, seguido por São Paulo e Rio Grande do Sul.

 A produção de ovos de galinha foi de 670,5 milhões de dúzias no trimestre, um aumento de 5,8% em relação a 2011. São Paulo, principal estado produtor, teve sua produção aumentada em 10,4% nesta comparação, representando 30,0% do total de ovos neste 2º trimestre de 2012. O maior aumento na produção foi observado em Mato Grosso (19,5%), que ultrapassou a produção de Goiás e assumiu a quinta posição entre os maiores produtores. O crescimento da avicultura para atender à agroindústria mato-grossense foi a principal causa deste aumento. Santa Catarina, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Espírito Santo também apresentaram crescimento acima de 10,0% neste trimestre em relação ao mesmo período de 2011.

O peso acumulado de carcaças no 2º trimestre de 2012 foi de 1,8 milhão de toneladas, 6,6% maior que o registrado no 1º trimestre e 8,7% superior ao registrado no 2º trimestre de 2011. O peso médio das carcaças no 2° trimestre de 2012 (235,1 kg/carcaça) foi 2,2 kg maiores que no trimestre anterior e 1,6 kg maior do que no 2º trimestre de 2011. Geralmente ocorre esse aumento do peso médio, já que nos segundos trimestres de cada ano há tendência de aumento da participação de bois e redução da participação de vacas.

A aquisição de leite pela indústria neste trimestre foi de 5,2 bilhões de litros, um aumento de 2,8% em relação ao mesmo trimestre de 2011. Este resultado positivo foi motivado pela recuperação da produção leiteira nos estados da Região Sul (14,4%), em especial do Rio Grande do Sul. Minas Gerais, maior produtor nacional, apresentou queda da produção em relação ao mesmo período. Comparando-se com o 1º trimestre de 2012, a queda de 9,7% no volume de leite adquirido neste 2º trimestre deve-se à entressafra, quando normalmente há redução das temperaturas e chuvas, reduzindo a qualidade e disponibilidade de pastagens.

Fonte: JB

Adaptação: Portal Suínos e Aves

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

 

 

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Os ovos de pata e codorna querem seu lugar à mesa

Para o cigarro tudo. Para a suinocultura nada.

veja como funiona a produção de ovos em cruzeiro do sul

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 3 de outubro de 2012