Granjas de Santa Catarina recebem com otimismo sinal verde do Japão para carne suína

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Japão anuncia que vai comprar carne suína da região norte de Santa Catarina, essa decisão era esperada há mais ou menos 30 anos, e ela veio em ótima hora, exatamente num momento de desalento devido aos altos custos da comida dos animais – farelo de soja e milho.

Santa Catarina é o único estado brasileiro que possui status de zona livre de aftosa sem vacinação, o sim nipônico vem coroar o trabalho sério e árduo empreendido pelo estado.

O início efetivo das vendas deve demorar de quatro a seis meses, mas o parque agroindustrial de processamento de carnes de Santa Catarina vibrou com o sinal verde dado pelo Japão na última segunda-feira (03/09).

Para o presidente do Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados de Santa Catarina (Sindicarne), Clever Pirola Ávila, o Japão consome cortes especiais de valor agregado (como já ocorre com frangos), são produtos exclusivos para aquele país. O mercado japonês é o maior importador do mundo em produtos de valor agregado.

Em 2011, o Japão importou aproximadamente 793 mil toneladas do produto, representando cerca de US$ 5,225 bilhões. Os principais fornecedores foram Estados Unidos e Canadá. Atualmente, o Brasil é o maior exportador de carne de aves in natura congelada para o Japão, com quase 90% de participação.

 A Associação Brasileira das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Carne Suína (ABIPECS) acredita que o Brasil suprirá com aproximadamente 15% das importações do país asiático em 2013.

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Os ovos de pata e codorna querem seu lugar à mesa

Para o cigarro tudo. Para a suinocultura nada.

veja como funiona a produção de ovos em cruzeiro do sul

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 5 de setembro de 2012