Empresa utiliza coagulante orgânico e sustentável para tratar resíduos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Brasil vem ocupando as primeiras colocações no ranking mundial de produtores de carnes, com expressiva contribuição tanto para o mercado interno quanto o externo. E estes números podem ser comprovados de acordo com relatórios da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Assim, somente na produção de carnes de frango, somos o terceiro maior do mundo, com uma média de mais de 12 milhões de toneladas por ano. Já no mercado de carne suína, ocupamos a quarta colocação, com 3,3 milhões de toneladas.

Tais números mostram a força do agronegócio ao mesmo tempo em que acende o sinal de alerta para que a magnitude desta produção esteja alinhada com as diretrizes de preservação ambiental e sustentabilidade.

Sendo assim, os resíduos gerados a partir do abate e processamento, como vísceras, sangue, osso, óleos, se não forem corretamente administrados, podem poluir o meio ambiente, principalmente os recursos hídricos.

O encaminhamento destes chamados efluentes vem sendo realizado com êxito pela empresa Basf, através de soluções orgânicas, que ainda propiciam o aproveitamento do material.

Enquanto no processo de tratamento físico-químico são utilizados materiais pesados, como sulfato de alumínio, dentre outros, além dos gastos de armazenamento e transporte até o aterro sanitário, no uso de soluções orgânicas há uma possiblidade de até economia de até 10% no custo do tratamento.

Sem contar que o tratamento com soluções orgânicas, além de sustentável, por não possuir toxicidade, pode ter a água da lavagem reaproveitada para outras finalidades.  Os subprodutos neste método, como o óleo, podem também ser reaproveitados para a queima, assim como o iodo para a produção de cosméticos.

 

O desenvolvimento conta com a produção e adequação dos insumos produzidos. Saiba mais.  

Fonte: Avicultura Industrial

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 12 de setembro de 2016