Cuidados na recepção dos pintinhos de frango de corte

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Para ter um bom processo de produção de frango de corte é necessário ter cuidados desde a chegada dos pintinhos, estes ao chegarem ao aviário devem ser removidos das caixas de 2 em 2 e examinados para a eliminação de pintinhos que não estejam sadios. O galpão onde vão ficar alojados deve estar devidamente limpo, desinfetado e com todos os equipamentos necessários dispostos adequadamente.

O produtor deve contar as aves a fim de saber quantos pintinhos recebeu da empresa integradora. Deve-se ensinar os pintinhos a beber água no bebedouro, mergulhando o seu bico na água, assim ele aprende que naquele local tem água.

O galpão deve ser aquecido e as cortinas levantadas para que o calor não saia do local, porque a temperatura ideal para o pintinho de 1 dia é de 32C. O aquecimento pode ser feito com uma caldeira (aquecimento a lenha), aquecedores elétricos ou a gás.

Pode-se utilizar o comedouro do tipo bandeja até o 14º dia, pois ele permite que o pintinho cisque e isso o estimula a se alimentar mais. Concomitantemente já pode ser introduzido o comedouro do tipo pressão. Depois do 14º dia o comedouro bandeja deve ser retirado. Nos primeiros dias de vida do pintinho pode- se também colocar a ração sobre um jornal.

As luzes devem ficar acesas por 23horas por cerca de 3 dias. O pintinho precisa conhecer o escuro para não ficar desesperado caso falte energia. Após a retirada do círculo de proteção pode-se fornecer 16 horas de claridade às aves, complementando de preferência nas horas mais frias do dia.  É recomendado, nos meses quentes de verão, ligar a luz, pela manhã, das duas até às seis horas, possibilitando o consumo mínimo de ração.

As aves doentes, fracas ou com a pata quebrada devem ser retiradas, durante todo o processo de produção. Essas aves são os refugos e devem ser eliminadas, pois continuam comendo ração e não poderão ser vendidas, gerando prejuízo para os produtores , pois tem um custo com elas e não tem retorno.

Os refugos são menores que os outros animais do galpão e ficam mais quietos, sem comerem muito. Eles devem ser colocados em composteiras. O uso de fossas não é mais permitido. A composteira é uma construção de alvenaria que serve para abrigar e manter um ambiente adequado para a fermentação do material. O seu produto é um adubo interessante para a agricultura, mas não deve ser utilizado onde se cria animais, pois contêm restos de ossos. O cheiro é fraco e não atrai insetos ou roedores.

Fonte: Portal de Veterinária

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

Conheça os Cursos de Planejamento e Produção de Frango de Corte

planejamento-e-produçao-de-frango-de-corte21

 

Veja outras publicações do Portal Suínos e Aves:

Crise na Suinocultura: desistir ou buscar alternativas?

Liberada a exportação da carne suína brasileira para a argentina

Exportação brasileira de frango no primeiro semestre aponta avanço na exportação

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 13 de maio de 2014