Como criar frango de corte

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 A criação de frangos de corte é hoje uma das atividades agropecuárias mais desenvolvidas. Pequenos ajustes e cuidados com a água, com a temperatura e com a ração fazem toda diferença na criação de frango. Por isso é importante ter bastante atenção aos cuidados listados abaixo:

O aviário deve ser isolado de outras instalações e criações, seco, arejado, protegido dos ventos fortes dominantes. Antes da chegado dos pintinhos deve-se assegurar que o aviário esteja limpo e sem a presença de aves por pelo menos 10 dias. Uma última desinfecção do aviário e dos equipamentos devem ser feita na véspera da chegada dos pintos.

Um detalhe importante  a ser feito poucas horas antes do recebimento dos pintos é verificar se as campânulas estão funcionando e os bebedouros e comedouros abastecidos. Na chegada dos pintos, além de efetuar-se a contagem dos pintos existentes nas caixas, deve-se separar aqueles que apresentam pernas retorcidas, cabeças e olhos defeituosos, bicos cruzados e aspecto de inviabilidade de sobrevivência (refugo). O total de pintos com problemas deve ser anotado. Alojar somente aves de mesma idade em cada aviário.

Para que o animal apresente um crescimento adequado, as temperaturas exigidas para que as aves encontrem conforto ambiental são as seguintes: 32°C = 1°dia 30°C = 2° ao 7° dia 29°C = 2ª semana 27°C = 3ª semana 24°C = 4ª semana. O bom controle da temperatura irá propiciar melhor conversão alimentar e maior taxa de crescimento. O telhado deverá ter cobertura refletiva, para ajudar a reduzir a condução de calor solar, além de conter material isolante.

 A iluminação deverá promover uma distribuição de luz uniforme no nível do piso.

 A abertura do círculo de proteção é feita gradativamente, a partir do 3º dia, podendo ser aberto diariamente conforme o comportamento e crescimento das aves. O círculo de proteção, como o próprio nome diz, tem a função de proteger os pintos nos primeiros dias de vida, quando os mesmos são muito sensíveis às mudanças de temperatura, facilitando a adaptação ao ambiente, mantendo-os próximos: da fonte de calor, dos bebedouros, da ração, evitando correntes de ar, separando-os em lotes menores, facilitando o trabalho e a inspeção diária do tratador.

No momento da chegada dos pintos as cortinas devem estar em perfeito funcionamento. O manejo é determinado conforme a temperatura ambiente, umidade e, principalmente, de acordo com a idade das aves.

As cortinas devem ficar fechadas nos primeiros dias de idade para manter a temperatura, abrindo-as nos dias mais quentes. Se o aviário estiver abafado ou com cheiro de amônia, principalmente de manhã, as cortinas devem ser abertas preferencialmente do lado que não recebem vento para que se realize a troca de ar, sem prejudicar os pintos.

Uma boa distribuição dos bebedouros nos círculos de proteção é essencial na fase inicial. Na fase inicial é essencial garantir que os bebedouros estejam bem distribuídos nos círculos de proteção ou na área para alojamento das aves, sempre objetivando que qualquer que seja o lugar onde o pinto se encontre haja um bebedouro próximo Deve-se ter cuidado na limpeza e desinfecção diária a fim de fornecer sempre água limpa e fresca as aves. A regulagem da altura do bebedouro deve garantir que o pinto possa beber confortavelmente e evitar o desperdício de água, empastamento e apodrecimento da cama.

O comedouro tipo bandeja é utilizado nos primeiros dias de idade, na proporção de 6 para 500 pintos, ou seja, 80 pintos por comedouro. Os pintos ao entrarem no comedouro para se alimentarem sujam a ração, sendo necessário peneirá-la duas vezes por dia, retirando-se as fezes e partículas de cama. O fornecimento da ração diária deve ser feita em maior número de vezes e em quantidades menores.

A cama tem como principal função  o isolamento térmico entre o piso e as patas das aves, sem deixar de ressaltar a diminuição da umidade, o conforto das aves, a manutenção de micro organismos que equilibram o ambiente protegendo contra enfermidades. Deve ser posta com o aviário limpo e desinfetado na espessura entre 5,0 a 10,0 cm e deverá permanecer no aviário até a saída do lote das aves. Se estiver formando encrostamento ou umidade a cama nestes locais deve ser trocada.

As aves antes da apanha não devem ter acesso à ração, para fazerem o jejum pré-abate e reduzir o conteúdo gastrointestinal das aves, diminuindo a possibilidade de contaminação da carcaça na evisceração decorrente do rompimento do inglúvio e/ ou intestino.

No momento da apanha para se evitar perdas, é importante distribuir as aves em pequenos grupos para facilitar a apanha e reduzir o impacto da movimentação das demais aves

A divisão das aves em grupos, além de auxiliar na apanha, reduz o impacto da movimentação das demais aves. O número de aves colocadas em cada caixa transportadora deve receber atenção especial. A decisão para essa variável deve considerar o sexo e o peso das aves, além de fatores como clima e distância do aviário ao abatedouro. A disponibilidade de oxigênio também é um fator decisivo no transporte dos frangos, uma vez que quantidades reduzidas de oxigênio podem resultar em asfixia das aves ou gerar coloração anormal na ave.

Para o transporte das aves normalmente usa-se o sistema de canos laterais e de cobertura. É importante que as caixas tenham um mínimo de movimento, sem risco de acidentes, já que no momento que uma caixa se solta, outras sofrerão o mesmo processo.

Os motoristas que transportam aves devem ser bem treinados e ter noção exata da carga que estão transportando.

O perído noturno é mais vantajoso para se realizar o  transporte das aves, pois evita temperaturas elevadas, favorecendo o bem estar das aves, o que reduz as perdas por mortalidade e resulta em carne de melhor qualidade.

Fonte: Criação de Animais

Adaptação: Portal Suínos e Aves

Conheça os Cursos de Planejamento e Produção de Frango de Corte

Veja outras publicações do Portal Suínos e Aves:

Crise na Suinocultura: desistir ou buscar alternativas?

Liberada a exportação da carne suína brasileira para a argentina

Exportação brasileira de frango no primeiro semestre aponta avanço na exportação

 

 

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 16 de janeiro de 2013