Carne de frango livre de antibióticos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Uma das maiores franquias do mundo do segmento de fast food, o McDonalds, por meio de seu presidente dos EUA, Mike Andres, anunciou recentemente que a rede não mais usará carnes de frango com antibiótico. A decisão, segundo ele, foi antecipada, já que estaria prevista para acontecer somente a partir de 2017.

De acordo com alguns especialistas, esse tipo de medicamento apesar resguardar o animal de várias doenças, pode colaborar para que microorganismos se tornem cada vez mais resistentes a remédios.

Por isso, a diminuição do seu uso é recomendável, apesar de estar crescendo em várias indústrias do setor no mundo.

Em recente nota, ONG Consumers International, que reúne em seu quadro mais de 240 organizações de defesa de consumidores, de mais de 100 países, afirmou que se nenhuma medida for tomada, em breve teremos uma situação em que qualquer doença ou infecção simples poderá ter seu potencial lesivo ampliado. 

No Brasil o uso de antibióticos na avicultura precisa respeitar algumas normas, sobretudo para o tempo de eliminação do mesmo antes do abate, fazendo com que a carne do animal não contenha quantidades expressivas destas sustâncias. Por isso, a importância da fiscalização rígida dos órgãos públicos junto a todas as empresas do setor.

Uma opção de alimentação, para os consumidores mais exigentes, são as carnes orgânicas, livre de antibióticos. Entretanto, este produto é, em média, 20% mais caro do que o tradicional.

 

Os produtores de frangos de corte devem optar por outros meios de combate as doenças e infecções para não ter perda de lucro na produtividade. Saiba mais.

Fonte: Avicultura Industrial

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 15 de agosto de 2016