Bem estar na suinocultura

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A necessidade de investimentos no bem estar da suinocultura é uma questão cada vez mais presente nas indústrias de todo o mundo voltadas para o segmento. Sendo assim, as condições que os animais são criados passaram, nos últimos anos, a ganhar lugar de destaque, gerando o interesse tanto de produtores quanto de consumidores.

Na Europa, o tema possui o respaldo de uma legislação forte e mais antiga do que em outros países, determinando condições rígidas nas criações tanto locais quando para países exportadores.

Já o Brasil e Estados Unidos, como principais exportadores de carne suína para a Europa, estão em situação parecida, investindo para melhorar cada vez mais as condições de suas criações, com o intuito de atender as exigências do mercado.

Diante disso, o mínimo que se espera das indústrias do setor é que os animais estejam dentro das chamadas boas práticas de criação, em um ambiente limpo, adequado termicamente, com água em abundância e rações balanceadas, em transportes que não gerem estresse, dentre muitos outros quesitos.

Sendo assim, um das maiores especialistas em bem estar animal do mundo, a cientista americana Temple Grandin, que ajudou a racionalizar o tratamento de animais em todo o mundo, foi enfática ao dizer que nosso relacionamento com os animais deve ser reciproca e vantajosa, ou seja, nós damos a eles boas condições para o seu desenvolvimento, e eles nos dão a carne para o nosso sustento.

 

Para atender todas as boas práticas de criação os produtores devem ter um planejamento adequado da suinocultura. Entenda.  

Fonte: Mais carne suína

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 12 de setembro de 2016