Aumento do custo de produção dificulta a suinocultura mineira

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os criadores de suíno do centro-oeste de Minas Gerais estão trabalhando no vermelho por causa do aumento no custo de produção. O alto aumento do preço do farelo de soja, usado na ração, e o preço insuficiente pago pelo mercado não ajuda a repor essa alta.  A alta do preço do farelo de soja usado na ração é de 55%.

Outro prejudicado com essa situação é o produtor de carne devido a constante queda no valor pago pela carne.

Em Pará de Minas, uma granja em envia 500 animais para o abate toda a semana. O produtor, Igor Parreiras, fez um empréstimo para poder manter a produção nos próximos dois meses. A falta de capita desse criador é decorrente, em parte, do custo da ração.

Além disso, em algumas regiões de Minas Gerais, nesta semana, a tonelada do farelo de soja chegou a ser comercializada por R$ 1 mil, acarretando num aumento de 55% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os 140 associados da cooperativa também reclamam da situação. Geraldo Resende, diretor da cooperativa, sustenta que não é possível levar adiante a atividade com essa comercialização baixa e insumos altos.

Como reflexo da queda do preço dos produtos, em um ano, o valor pago pelo quilo do animal vivo caiu 17%, na região centro-oeste de Minas Gerais.

 

Fonte: Globo Rural

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura

 

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Exportação de carne suína brasileira para argentina tem o nível mais baixo da história

Veja as perspectivas da suínocultura para 2012

Por que a China é o maior consumidor de carne suína do mundo?

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 28 de junho de 2012