Alta em ração animal tem previsão para durar até 2013

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC), Marcos Antônio Zordan, prevê que de acordo com a conjuntura do mercado mundial os preços dos grãos essenciais para a formulação de rações para animal, continuarão em alta até 2013, o que exige ações de política agrícola em favor dos pequenos e médios produtores rurais.

O aumento nos preços é em decorrência da associação de vários fatores: seca nos Estados Unidos, a seca no sul do Brasil e a antecipação e compras da China. A saca de milho que custava R$ 27 reais em janeiro custa hoje aproximadamente R$ 32 reais, mas em condição normal de mercado deveria estar em R$23 reais. Zordan explica que a crise atinge os criadores de aves e suínos de forma diferente, os produtores ditos independentes devido à dependência de matéria prima para ração são os que mais sofrem no momento da crise, pois em um mundo globalizado eles ficam a mercê do mercado, já para os avicultores integrados o risco é menor, no caso do sistema cooperativista, o produtor rural é também sócio e não tem  grandes problemas.

O presidente da OCESC expõe que as crises são periódicas e que o importante é estar preparado para enfrentá-las. Para isso deve se regulamentar as exportações, montar estoques reguladores, facilitar o transporte das regiões consumidoras, fomentar o plantio nas áreas de consumo com sementes de alta produtividade.

Devida à importação do agronegócio para a sociedade brasileira e a economia nacional, Marcos Zordan defende a adoção de uma política de proteção e apoio baseada na planificação geral da produção agropecuária “como estamos inseridos num mercado mundial, os Governos têm que analisar a importância da atividade para o país e adotar medidas com antecedência para prevenir em parte ou toda a crise”.

Soluções para enfrentar as crises existem o que precisa são os recursos, a iniciativa e principalmente o conhecimento no assunto. Zordan recomenda ao produtor integrar-se em uma cooperativa devidamente registrada, pois elas oferecem maior poder de participação e tomada de decisão.

Fonte: MB Comunicação

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

 

 

 

Conheça o Curso de Boas Práticas de Fabricação de Ração – BPF implementação e gestão

Veja outras publicações da Portal suínos e aves:

Os ovos de pata e codorna querem seu lugar à mesa

Para o cigarro tudo. Para a suinocultura nada.

veja como funiona a produção de ovos em cruzeiro do sul

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 4 de setembro de 2012