A importância do bem estar animal na granja de suínos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Rede Globo transmitiu, recentemente, no programa Globo Rural, uma matéria de aproximadamente 13 minutos sobre a importância das práticas de bem estar na suinocultura. E na abertura da matéria em questão, o apresentador foi enfático, ao dizer, que o esforço do produtor em cuidar bem do animal nas fazendas pode ser em vão se, na hora do abate, não existir o mesmo cuidado.

Negligenciar as boas práticas no final do processo, portanto, pode ser um tiro no pé, comprometendo a qualidade final do produto.

O Ministério da Agricultura, desde 2008, estipula as boas práticas de manejo para o setor. Na mesma linha, a União Europeia se mostra cada ano mais exigente quanto a esta questão, deixando inclusive de importar carnes de países produtores que não atendem a estas exigências.

Diante deste cenário, o país, que é o quarto produtor de carne suína do mundo, vem cada vez mais investindo em simpósios, cursos, seminários e pesquisas sobre o tema, para que a produção alcance os resultados desejados.

As práticas de bem estar, ou chamadas humanitárias, passam por várias frentes e podem variar desde o tipo de alimentação até o cuidado com as instalações físicas.

Os animais, portanto, precisam de descanso, tranquilidade, espaço apropriado, baias individuais, temperatura razoável, dentre muitos outros quesitos.

Ignorar tais questões é retroceder no desenvolvimento da criação de suínos para corte, e, sobretudo, correr o risco de ser alijado de um mercado cada vez mais exigente.  

 

O produtor para garantir a qualidade do seu produto no mercado deve ter um planejamento adequado. Saiba mais.

Fonte: Suinotícias  

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 7 de julho de 2016