A importância da Biosseguridade em Granjas de Suínos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A biosseguridade é uma parte fundamental das boas práticas de produção (BPP) de suínos. Biosseguridade pode ser definida como o conjunto de procedimentos efetuados para minimizar a entrada de patógenos numa granja (biosseguridade externa), bem como para controlar a difusão de doenças presentes no rebanho, reduzindo ao mínimo possível o seu impacto (biosseguridade interna).

A evolução da importância da segurança alimentar ampliou o conceito de biosseguridade, incorporando procedimentos que reduzam os riscos de contaminantes nas carcaças (físicos ou químicos) que possam ser introduzidos na cadeia alimentar através de produtos suínos. Além de outros procedimentos que sirvam para rastreabilidade dos alimentos.

A busca por novos mercados para a suinocultura levou ao aumento das exigências de BPP e de alta sanidade dos rebanhos. Desta forma, a suinocultura brasileira está investindo e melhorando a estrutura de instalações, o isolamento das granjas e normatizando os fluxos de pessoas e veículos que ingressam e circulam nas propriedades, com o intuito de aprimorar a biosseguridade para os rebanhos.

Diante do surgimento de novos conceitos e alternativas para controle de doenças, como a regionalização e compartimentalização, a aplicação de programas de biosseguridade têm demandado a procura por auditorias, que, por sua vez, exercem importante papel na avaliação da eficiência das medidas de biosseguridade implantadas nas granjas.

A auditoria tem como objetivo destacar, através de um processo sistemático, documentado e independente, as atividades desenvolvidas numa granja, para que sigam as descrições contidas no manual de biosseguridade, para que as pessoas executem as tarefas com conhecimento e para que a implementação seja eficaz e enquadrada dentro dos objetivos definidos.

As auditorias podem ser realizadas pela própria empresa ou por empresas que prestam esses serviços e que contam com maior conhecimento e idoneidade para a função. Os auditores têm a responsabilidade de elaborar os procedimentos e roteiros das auditorias, como por exemplo, documentos de referência que ficam protocolados na Gerência. Três grupos de pessoas são envolvidos nas auditorias: os auditores, os auditorados e a Gerência da Garantia da Qualidade.

Os programas de biosseguridade em granjas de suínos devem atender um roteiro básico que consiste em: definir objetivos do programa de biosseguridade da propriedade, os quais considerem o tipo de granja (núcleo, multiplicadora, UPL, engorda, ou outro) para determinar o nível de biosseguridade que a mesma deve deter; elaborar o manual de biosseguridade para atender os objetivos estabelecidos, considerando os procedimentos da granja e descrevendo as tarefas com detalhes, mas de forma objetiva; implantar um programa de treinamento e qualificação dos funcionários nas tarefas específicas, em que as pessoas devem ser treinadas e qualificadas, segundo suas aptidões e conhecimentos para realizar as tarefas seguindo as descrições do manual; avaliar os resultados através de auditorias; ajustar o programa para corrigir falhas, em que o relatório gerado pela auditoria indicará os pontos a serem melhorados e que apresentarem não conformidade; padronizar e realizar auditorias periódicas.

A necessidade da biosseguridade, em manejo tecnológicos é também uma justificativa para recorrer a tal serviço. Na prática da IA, em que se têm os programas como potenciais difusores de patógenos, tanto através do sêmen como por meio das embalagens, veículos de transporte e pessoas que fazem parte do processo de produção e distribuição das doses inseminantes, e, em especial, quando se trata do uso da IA em larga escala na suinocultura, é de fundamental importância atentar para a biosseguridade.

Com o crescimento da importância da sanidade dos rebanhos para melhorar produtividade, segurança na cadeia alimentar e comercialização de produtos suínos, a biosseguridade é uma ferramenta imprescindível nas modernas granjas de suínos. Impulsionados pelas exigências dos consumidores, aspectos ligados ao controle de resíduos e à rastreabilidade são também incluídos na abrangência da biosseguridade. A auditoria é usada para avaliar programas de biosseguridade em granjas e Centrais de IA, e validar a idoneidade dos mesmos. As equipes de auditores, internos ou externos, elaboram conclusões e recomendações e os auditorados devem utilizá-las para corrigir ou melhorar a qualidade do programa de biosseguridade estabelecido.

 

Fonte: Agromundo

Adaptação: Portal Aves e Suínos

 

 

Conheça o Curso de Planejamento e Administração de Suinocultura!

 

 

 

 

Veja outras publicações da Portal Suínos e Aves:

Corte do Último Terço da Cauda de Suínos: por que fazer?

Transporte adequado impacta favoravelmente na qualidade da carne suína

Aumento do custo de produção dificulta a suinocultura mineira

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 3 de julho de 2012