Vacinação para frango de corte e galinha poedeira

Print Friendly Version of this pageImprimir Get a PDF version of this webpagePDF

A diferença entre Frangos de Corte e de Galinhas Poedeiras não está apenas na finalidade da produção, mas também no manejo em cada criação. A vacinação é um exemplo de cuidado diferenciado e alguns fatores são fundamentais para definir a necessidade ou não de certas vacinas.

Devido ao período curto de vida dos frangos de corte, a vacinação muitas vezes não é utilizada. Esta é uma prática errônea e que deve ser revisada.

Já no primeiro dia de vida de um frango de corte e de galinhas poedeiras, as aves devem ser vacinadas contra a doença Marek, cabendo ao médico veterinário, determinar a necessidade ou não de outras vacinas para o plantel.

A escolha das vacinas a serem utilizadas é um desafio sanitário, pois a necessidade é definida pelas doenças ou epidemias existentes em cada região aonde irá se criar os frangos e galinhas.

As tabelas a seguir destacam algumas doenças de Galinhas Poedeiras e Frangos de Corte, a vacinação e a idade recomendada para a aplicação. Veja:

VACINAÇÃO PARA GALINHA POEDEIRA

Idade

Doença

Via de aplicação

1 dia (incubatório)

Marek + Gumboro + Bouba (suave)

Subcutânea

7 dias

New Castle (B1) + Bronquite Infecciosa (H120) + Gumboro

Ocular

35 dias

Bouba (forte)

Membrana da asa

35 dias

New Castle (LS) + Bronquite Infecciosa (H52) + Gumboro

Ocular

50 dias

Coriza Infecciosa (Aquosa)

Intramuscular

70 dias

New Castle (LS) + Bronquite Infecciosa (H52) + Gumboro

Ocular

100 dias

Encefalomielite Aviária

Água de bebida

120 dias

Coriza Infecciosa (Oleosa)

Intramuscular

135 dias

New Castle + Gumboro + Bronquite Infecciosa (Tríplice Oleosa)

Intramuscular

 

VACINAÇÃO PARA FRANGO DE CORTE

Idade

Doença

Via de aplicação

1 dia (incubatório)

Marek + Gumboro + Bouba (suave)

Subcutânea

7 dias

New Castle (B1) + Bronquite Infecciosa (H120) + Gumboro

Ocular

35 dias

Bouba (forte)

Membrana da asa

35 dias

New Castle (LS) + Bronquite Infecciosa (H52) + Gumboro

Ocular

O planejamento é fundamental independente da finalidade da criação de aves, pois a vacinação incorreta e tão prejudicial quanto não vacinar quando necessário. A consulta a veterinários capacitados e estar por dentro dos históricos de epidemias de doenças da região da criação são pontos simples e fundamentais para evitar prejuízos produtivos.

Fonte: Saúde Animal

Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

 

 

Conheça o Curso sobre Alimentos e Alimentação de Frangos de Corte

Veja outras publicações do Portal Suínos e Aves:

Brasil perde clientes do mercado avícola

Suinocultores buscam linha de crédito, preocupados com o preço do milho

Conheça mais sobre a vacina contra circovirose

 

 

 

 

Veja Também

Comentários

Deixe seu comentário

Receba nossas novidades!

Digite seu e-mail:

Curta nossa página


Tire suas dúvidas Preencha os campos abaixo